"" A Saúde e Beleza De Suas Orquídeas: 2017

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Os Cuidados Essenciais Para Suas Orquídeas

As orquídeas são conhecidas pela beleza única, mas também por serem bastante sensíveis e de difícil manutenção. Apesar da dificuldade no cuidado, elas surpreendem pela resistência. A maioria delas pode sobreviver mesmo depois que estiverem completamente secas por fora. Algumas chegam a durar décadas.

Por exigir delicadeza e dedicação nos cuidados, muitas pessoas adotam a orquídea como verdadeira terapia e garantem que pode ser muito relaxante. Por serem bastante resistentes, as orquídeas são ideais para serem cultivadas em casa, desde que recebam luz e água na quantidade adequada. Para cuidar delas, o ideal é perguntar o tratamento específico para cada espécie no próprio local onde forem compradas.



No entanto, de um modo geral, elas precisam de água diariamente, ou a cada dois dias, em quantidade moderada. Algumas espécies já se adaptaram ao sol, mas o melhor mesmo é colocá-las em um lugar com sombra e que seja iluminado apenas pelos raios de sol do entardecer.

É importante adubar as orquídeas sempre, em pequenas quantidades, diretamente no substrato ou então diluído em água e borrifado nas folhas. A adubação deve ser feita pelo menos uma vez por mês, mas com um intervalo de no mínimo duas semanas. As flores também precisam ser podadas sempre, retirando partes secas ou doentes.



Antes de comprar uma espécie de orquídea em uma floricultura, ou casa especializada, certifique-se de que o local está autorizado a comercializá-las e de que elas são originárias de estufas. A retirada delas da natureza é crime, sujeito às mesmas leis que protegem outros produtos florestais, como madeira, lenha e carvão. Essa medida serve para proteger as mais de 3.500 espécies brasileiras, todas ameaçadas de extinção.

Por: Maria Clara Corsino.

fonte: https://www.cpt.com.br/noticias/saiba-como-cuidar-de-orquideas-em-casa

AVISO LEGAL
Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.

Conheça Mais Sobre As Maravilhas Das Orquídeas

Como cuidar de orquídeas, essa é uma pergunta que todos os apaixonados por elas fazem inúmeras vezes, conheça um pouco sobre elas para saber como cuidar de cada uma.

Hoje vamos falar um pouco das espécies de orquídeas em relação ao seu hábito de crescimento, saber como elas crescem é muito importante na hora de plantar as orquídeas.



COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

Cuidar de orquídeas é muito fácil  isso contraria o que muitos falam delas, não exigem muitos cuidados nem muito do nosso tempo, o mais importante de tudo é conhecer elas assim podemos saber como cuidar de nossas orquídeas, sim o conhecimento é tudo na hora de por em prática os cuidados com elas, pois sabemos que cada espécie precisa de ser  tratada de acordo com suas necessidades.

O que fazer quando ganha a primeira orquídea, quando é preciso replantar, e ao aparecer uns intrusos nas nossas orquídeas, ou quando elas ficam doentes isso tudo nós nos perguntamos por medo de perder a muda e isso acontece com frequência e muitas vezes pelo excesso de cuidados, tudo tem que ser na medida certa.

Para você saber como cuidar de orquídeas você precisa de conhecer as espécies, conhecendo cada uma você tem bastante chance de evitar que você perca a planta.

SABER IDENTIFICAR O HÁBITO DE CRESCIMENTO DAS ORQUÍDEAS É MUITO IMPORTANTE, PORQUE ISSO DETERMINA O MODO DE PLANTAR E TRANSPLANTAR CADA ESPÉCIE.




As orquídeas podem crescer no solo, sobre pedras, na matéria orgânica e principalmente se desenvolvendo apoiadas em outras plantas, especialmente em árvores e essa forma elas adoram. Podemos assim agrupá-las de acordo com seu habitat e não errar na hora de plantar uma orquídea.

TERRESTRES

As orquídeas terrestres se desenvolvem diretamente no solo, retirando dele água e nutrientes necessários para seu crescimento. Podemos citar como exemplo de terrestres os gêneros Arundina, Selenipedium e Phaius. Há orquídeas que, embora terrestres, desenvolvem-se em forma de liana escandente, necessitando do suporte de outros vegetais, como no caso de espécies do gênero Vanilla.

RUPÍCOLAS OU LITÓFITAS


São as que vivem na natureza sobre rochas ou rochedos. Estendem suas raízes pela superfície das rochas ou penetrando nas frestas e irregularidades onde se acumulam os nutrientes e a água que elas precisam para sua subsistência. Podemos citar como exemplo de Rupícolas ou Litófilas os gêneros Epidendrum, Hoffmannseggella e Bifrenaria. Hoffmannseggella briegeri (L.briegeri,C. briegeri)

SAPRÓFITAS


São orquídeas completamente desprovidas da parte aérea e aclorofiladas, que vivem abaixo do solo, nutrindo-se de material orgânico. Elas representam um número reduzido de espécies e não são significativas em cultivos.

EPÍFITAS


As Espífitas representam a maioria das espécies de orquídeas. São aquelas que vivem principalmente sobre árvores, podendo também crescer em arbustos e cactos, onde encontram luz e ar em abundância. Não são parasitas, pois realizam fotossíntese e utilizam o tronco de outras plantas apenas para se fixarem. Como exemplo, temos os gêneros Cattleya, Oncidium, Dendrobium, Laelia e Brassavola, que são as plantas mais cultivadas, tanto no Brasil como em outros países.


fonte: http://orquideasraras.net.br/como-cuidar-de-orquideas/

Confira a Maneira Correta de Se Cultivar Orquídeas Ainda Hoje

Aprenda como cuidar de orquídeas e descubra quais são os segredos para ter sucesso no cultivo dessas plantas maravilhosas.


Descubra os segredos para fazer das orquídeas em seu jardim em plantas lindas e como as de exposição!

Quem não sonha com lindas orquídeas em sua casa? Realmente elas são lindas!


Aprender a como cultivá-las exige conhecimento e vale muito a pena, confira abaixo o melhor manual para você aprender os segredos para cultivar orquídeas:

Manual Passo a Passo Como Cuidar de Orquídeas:

Conheça o Manual Como Cuidar de Orquídeas – Saiba Mais –  Manual Cuidar Orquídeas

O cultivo de orquídeas exige atenção e conhecimento das necessidades e exigências de cada planta. Se você está começando, ou mesmo se já as cultiva, poderá ter acesso para as informações mais importantes, que envolvem o cultivo de orquídeas, como por exemplo: quando regar, qual o tipo adequado de luz, a umidade, e os cuidados necessários para cada tipo de orquídea.



Conheça o Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas – Manual das Orquídeas, e aprenda todos os segredos que envolvem o cultivo delas, de forma rápida e simples, sem precisar de equipamentos caros de jardinagem!

É um manual digital em PDF, e depois que adquirir, receberá o acesso por meio de um link para baixar e se quiser até mesmo imprimir seu manual Como Cuidar de Orquídeas, e poderá consultá-lo sempre que quiser!

Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas e Bônus:
Como Cuidar de Orquídeas

Veja o que você aprenderá com o manual mais completo sobre como cuidar de orquídeas:

- Os tipos de orquídeas e as diferenças de cuidados entre elas, bem como os cuidados para cada tipo;
- Os que você precisa conhecer para ter sucesso em cultivar orquídeas como fazer o envasamento e -- - Montagem correta para que sua planta se adapte bem ao novo local;
- Vasos e materiais ideais para sua orquídea, substratos;
- As estações do ano e o comportamento das orquídeas em cada estação;
- Os tipos de orquídeas, doenças, pragas;
- As 13 técnicas e dicas para acabar com as doenças, fungos e pragas
- O calendário da floração anual das orquídeas.

As doenças mais comuns e métodos de cura, como identificar as pragas, fungos e doenças e manter suas orquideas saudáveis e florindo todos os anos e muito mais!!

Você conhece algumas dessas pragas e doenças abaixo? Sabe como prevenir e tratar?

Como Cuidar de Orquídeas

Dicas Sobre Como Cuidar de Orquídeas:


* As Orquídeas podem ser plantadas em troncos de árvores. Para isso basta amarrar com um barbante o substrato com a orquídea. Quando sua orquídea criar raízes, já pode retirar o barbante.
Para que a fixação das raízes de sua orquídea aconteça mais rápido, poderá utilizar três gotas de complexo B para um litro de água e borrifar na planta uma vez ao dia.

Mas isso é apenas para árvores rugosas, como palmeiras, cajueiros. Se você mora em apartamento ou casa que não tem quintal quintal ou mesmo um espaço de jardim, utilize um vaso de barro ou de plástico ou uma caixa de madeira.

* Prefira plantar a sua orquídea debaixo de uma árvore. Isso beneficia a orquídea, que receberá a luz de forma mais branda e evitará que sua orquídea queime com o Sol. Se você tiver muitas orquídeas, o ideal é ter uma estufa que possua telas de sombreamento, e que a densidade seja de 50% a 70%.

* O Substrato é a base para as raízes de sua orquídea se fixarem. As orquídeas terrestres como por exemplo as espécies rabo-de-tatu e palmeirinha, aceitam areia como substrato. As outras espécies, o ideal é usas casca de pinus, carvão, fibra de coco, caroços da siriguela, ou brita. A melhor mistura é a que utiliza três substratos: sphagnume brita; ou carvão, casca de pinus e fibra de coco e brita.



* A adubação de sua orquídea deve ser feita nas folhas. O melhor horário para aplicar o adubo é pela manhã ou a noite, quando a planta está fria, para evitar queimaduras. A adubação pode ser feita com intervalo de 7 a 15 dias.

* Para regar sua orquídea, apenas utilize um borrifador uma vez ao dia. A orquídea morre mais facilmente pelo excesso de água que por falta dela. Quando sentir com o dedo que o substrato está úmido, não borrife mais água.

* Os orquidários precisam estar sempre bem limpos. Para isso procure as folhas pretas e queimadas e retire. Isso ajuda muito a evitar a contaminação por fungos.

fonte: http://vivabemonline.com/como-cuidar-de-orquideas/

Saiba A Maneira Correta de Como Cuidar de Suas Orquídeas

Com espécies dos mais variados tipos e encantando a todos os gostos, as orquídeas costumam ser preferência na hora de decorar um ambiente ou presentear alguém por ser tão delicada.

Para quem está interessado em cultivar, é fundamental que conheça alguns cuidados básicos desta planta para tê-la por muito tempo, como, por exemplo, elas gostam de ambientes com pouca luminosidade e úmidos, portanto, não é uma flor para ser exposta diretamente ao sol.



Aprenda agora como cuidar de orquídeas corretamente, para ter sempre as mais belas flores no seu jardim: clique aqui.

Dentro e fora de casa


Se a intenção é cultivar orquídeas em ambientes externos, é importante que o vaso seja de barro em vez de plástico, pois estes possuem buraquinhos que facilitam a drenagem de água, proporcionando a umidade necessária para a flor se desenvolver. No entanto, se a opção for somente de plástico, fique atento para que ela não fique encharcada.

A maneira ideal de regá-las é de forma equilibrada, pois orquídeas gostam de água, mas em demasia não resistem e você pode acabar perdendo sua planta. Capriche um pouco mais somente no verão, observe afundando o dedo se o solo fica úmido o suficiente, e tome o cuidado de não exagerar, pois isso poderá matar a planta.




Existem diversas espécies de orquídeas, e como umas são capazes de reter mais água que outras, o ideal é observar sempre a necessidade do clima para ver qual a necessidade atual da planta.

Se você pretende cultivar a sua orquídea dentro de casa, mantenha a circulação de ar e se necessário, coloque um ventilador nas proximidades. Um ar abafado pode prejudicar seu crescimento. Orquídeas se alimentam principalmente do ar.

Tenha paciência quanto à sua orquídea florescer, algumas podem demorar um pouco, portanto, é importante saber interpretar as causas. Algumas precisam estar um pouco mais maduras para florescer, ou o vaso em que ela está pode ser pequeno demais. Neste caso, transfira a orquídea para um vaso maior, porém não grande demais para não ocasionar novos problemas com relação às raízes da planta.

De ambos os jeitos, tanto dentro como fora de casa, vale a pena dar a atenção necessária à sua orquídea para que ela lhe retribua com belas flores.

Fonte: http://www.belezafeminina.pro.br/casa/como-cuidar-de-orquideas/

A Beleza e A Forma De Cuidar De Suas Flores

Não importa a espécie, o tamanho, a cor ou o perfume, nós simplesmente não vivemos sem nossas queridas orquídeas. Elas alegram nossas casas, embelezam nossas mesas, presenteiam nossos amigos e arrancam suspiros e sorrisos. Enfim, orquídeas nos encantam e isso não é bem um segredo por aqui, não é mesmo? Porem você sabe a maneira correta de como cuidar de orquídeas?

Mas o que fazer quando a floração dessas lindas plantas termina?


Há algum tempo, falamos aqui sobre como conservar suas orquídeas para sempre e um dos temas que mais despertou curiosidade foi o que fazer com a haste floral. Devemos cortá-la ou não?
Nosso querido Sergio Oyama Junior, do maravilhoso Orquídeas no Apê, pesquisou a fundo o assunto e, a seguir, nos dá valiosas dicas sobre como proceder neste momento.

Para Sergio Oyama, a reposta para a questão sobre o que fazer com hastes das orquídeas após a floração baseia-se em três pontos fundamentais:

1. Qual é a orquídea?


Para se decidir sobre o destino de uma haste, é importante saber com que espécie de orquídea se está lidando. A maior parte das orquídeas floresce apenas uma vez ao ano e suas hastes não voltam a dar flores após o término da floração original.

Algumas orquídeas, no entanto, particularmente as híbridas, podem florescer por mais de uma vez na mesma haste. Dentre elas, as mais conhecidas são as do gênero Phalaenopsis, cujas flores lembram as asas de uma mariposa e sobre as quais falamos aqui. Outra orquídea que apresenta esta característica é a Tolumnia, típica das ilhas do Caribe.

Tratando-se de espécies como as acima, é possível obter uma segunda floração na mesma haste. Algumas orquídeas, quando bem cuidadas, passam meses a fio florescendo assim. No entanto, este bônus não acompanha todas as espécies existentes.

2. A vontade da orquídea


Após a última flor cair da haste, a própria orquídea irá “decidir” o que deve ser feito a seguir.
Ela pode considerar sua missão cumprida, hipótese em que a haste simplesmente seca. No ano seguinte, na mesma época, outra haste irá nascer e florescer, a seu devido tempo.



A orquídea também pode decidir manter a haste floral ativa. Neste caso, novas ramificações nascem a partir das gemas dormentes (aquelas pequenas saliências ao longo da haste). Elas produzirão uma nova floração que, no entanto, costuma ser mais comedida, com um menor número de flores que a original, porque a floração requer muito da planta, podendo, inclusive, debilitá-la e até mesmo fazê-la morrer. Normalmente, na natureza, existe um período de descanso entre uma floração e outra.

Existe, ainda, uma terceira possibilidade. A orquídea pode produzir um keiki (significa bebê, em havaiano) a partir da haste floral antiga. Neste caso, o pequeno broto desenvolverá raízes e poderá ser destacado da planta mãe, produzindo sua própria floração no futuro.

3. A vontade do dono da orquídea


Muitas vezes, percebemos que a orquídea não está bem, seja pela aparência das folhas, seja pela aparência das raízes. Neste caso, é interessante cortar a haste por completo, de modo a impedir uma nova floração logo em seguida – o que somente debilitará ainda mais a planta.

Cortar a haste por completo é uma forma de dar um período de descanso à orquídea e proporcionar uma nova e revigorada floração no ano seguinte. Para tanto, corta-se a haste rente à base e, na época apropriada, uma nova haste floral surgirá carregada de flores organizadas em fileiras paralelas e simétricas – isso raramente ocorre nas florações secundárias.

No entanto, caso a intenção seja manter a casa florida por mais tempo, é possível realizar procedimentos que estimulem o reflorescer de uma haste antiga: preservar a haste e esperar uma eventual floração é um deles. Um outro – que visa acelerar o processo – é cortar a haste na altura da terceira gema (a saliência, contada de baixo para cima).



É importante lembrar, contudo, que o corte na altura do terceiro nó não garante uma nova floração. Pode ser que a orquídea emita um ou mais keikis, que, em vez disso, ela emita hastes florais secundárias ou, ainda, pode ser que nada aconteça.

Existe, ainda, um mito de que canela em pó no corte da haste estimularia uma nova floração. Na verdade, este procedimento apenas impede infecções oportunistas na área do corte, já que a canela possui propriedades antissépticas. A nova floração, contudo, não é garantida.

Esperamos que, a partir das observações acima, vocês consigam decidir com segurança como proceder após a floração de suas orquídeas. E que venham muitas e muitas outras florações pela frente!

Fonte: http://www.vamosreceber.com.br/2015/05/06/como-manter-as-orquideas-apos-a-floracao/